Poetizar

Poetizar
Às vezes faço versos, às vezes me faço versos!

domingo, 30 de outubro de 2011

Eu, o silêncio e você madrugada

Chega silenciosa, majestosa, fogosa.
Dona de um brilho próprio ou será escuridão sombrosa?
Traz com ela os meus sonhos, dilacera os meus redemoinhos.

Chega calada, envolve-me com teu silêncio
não me promete nada, apenas deixa-me sonhar.
Alimenta meus devaneios,
me deixa sentir tua brisa que  embriaga,
me arrebata, me leva ao máximos do meu eu interior.
Eu, o silêncio e você madrugada...

Vez ou outra ouço o canto da coruja
Assim, como eu, companheira tua, madrugada.
Vejo então chegar ao fim a minha inquietude,
a madrugada vai se distanciando,
finda por horas o meu pesar ,
recolho meus redemoinhos.

Preparo-me para o dia que vem surgindo.
Encontro-me contigo logo mais ao findar este dia
e a noite então reinar.
Trazendo com ela a tua escuridão, madrugada.
Marquemos então, nosso próximo encontro.
Eu, o silêncio e você madrugada...
para juntos dilacerarmos as minhas

Jacinta Santos
10/10/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique há vontade, pode comentar.