Poetizar

Poetizar
Às vezes faço versos, às vezes me faço versos!

terça-feira, 19 de junho de 2018

Fases tua



 
Você mais parece a lua e suas fases
Vem em noites de carências tuas
Não liga para as minhas crescentes saudades tua
Ilumina as noites de gozos teus
Mingua quando suga a vitalidade do amor que sinto por ti
Some noites sem fim...
Para retornar outras vez quando precisa de mim...
Dia desses torno-me Sol
Queimo tua pretensão de acha-se dono meu

Jacinta Santos em 17/0718

Jacinta Santos
10/06/2018


sexta-feira, 15 de junho de 2018

Decisão

Rasgou as cartas
Apagou as lembranças
Sapato alto 
Bico fino
Vermelho sensação
Pisou na emoção
Chutou o papel amassado
Bolsa na mão
Cabelo assanhado
Perfume amadeirado
Doce-suave
Calcinha fio dental
Saia com tantos babados
Encontro marcado com o acaso
Porta aberta
Lá vai ela
Rebolado de mulher no cio
Excitabilidade fêmea-macho 
Macho-fêmea
Seguiu rua a baixo
Exalando sensualidade
Cuidado ao pisar no chão
Pisando apenas nos corações
Aprendeu a usar
ao invés de ser usada
Imagem: http://www.ofertaviva.com.br/produto/sapatos-da-moda-das-mulheres-do-dedo-do-pe-apontado-big-bowtie-saltos-finos-alta-sandalias-de-salto-sapatos-de-casamento-sapatos.html



Jacinta Santos
15/06/2018





quinta-feira, 14 de junho de 2018

Tambor



Ouço o batuque,
Tambor.
Ouço o chamado do batuque,
Tambor.
Danço, rodopio solta na mata,
Tambor.
Tambor chamou, já vou.
É noite de fogueira na mata,
Tambor.
Batuque chamou, já vou.
Pulo porteira e corro pra mata
Sigo o chamado,
Tambor.
Batuque chamou,
Batuque me leva,
Preta na roda,
Roda de dança,
Na palma da mão,
No centro o tambor.
Me chama que vou
No batuque do tambor.
Batuque, batuque, batucada.
É no batuque.
É do tambor?
Já vou...
Jacinta Santos no lavrado de Roraima


Jacinta santos.
14/06/2018

terça-feira, 12 de junho de 2018

Dia dos namorados

Quem é você que sem cerimônia me rouba o riso?
Prende meu mais doce olhar
Nesse eternizar de almas nos espelhos de nossas íris?
Promessas de um amor sem fim, amar.

Quem é você que me leva da gargalhada ao gemido
Num transe entre estar feliz e explodir de desejo?
Eclosão de sentimentos.
Promessas de um amor sem fim, amar.

Quem é você que insiste nessa conquista louca
De querer-me tua a cada amanhecer
De um anoitecer tórrido de entregas nuas?
Promessas de um amor sem fim, amar.

Quem é você que toca minha pele provocando arrepios,
Me rouba carícias num jogo gostoso
De quem se entrega mais?
Promessas de um amor sem fim, amar.

Jacinta Santos
12/06/2018
Meu amor, Josenir Silveiro e eu


segunda-feira, 11 de junho de 2018

De um pedido para cantar


Não sei cantar
Como atender teu pedido?
Só sei versejar 
Me diz que não é tempo perdido
Rimar palavras com teu desejo
Formar versos com meus lampejos
Rabiscar na tela invisível poemas meus para teu pedido?



Jacinta Santos 05\2018

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Frio

É sábado chuvoso.
Frio.
Abraço meu corpo
que arrepia-se e
chora a ausência
de um abraço teu.





Jacinta Santos
28/04/2018

terça-feira, 24 de abril de 2018

Falando de amor


E sobre o amor?É isso,
Te tira o chão
E te coloca para voar.
Te dá a certeza da firmeza
Do abraço mais gostoso,
Mas planta borboletas que
Emitem raios frios no estômago.
Te rouba o sono,
Mas te faz dormir com a
Tranquilidade de quem vai acordar
No aconchego dos braços de quem
Sempre sonhou estar.
E sobre o amor?
É sorrir teu mais lindo sorriso com os lábios, olhos e coração.

Meu amor Josenir Silvério e eu







Jacinta Santos
24/0418